sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Rubéola na gravidez

Rubéola na Gravidez

Escrito para o BabyCenter Brasil


O que é rubéola? 


Rubéola é uma doença contagiosa, que provoca erupções avermelhadas no rosto e depois no restante do corpo. Outros sintomas são febre baixa e gânglios linfáticos inchados ("ínguas"). O vírus tem um ciclo de duração de cerca de três dias. Embora a rubéola não chegue a ser uma doença grave, ela é extremamente perigosa para mulheres grávidas, porque pode levar a muitos problemas no bebê, variando de surdez a encefalite. Felizmente, algo em torno de 75 por cento das mulheres em idade fértil são imunes à doença, seja por já ter sido infectadas na infância ou por ter tomado a vacina tríplice viral (contra sarampo, rubéola e caxumba). 

O que fazer se eu ainda não for imune à doença?


Se você sabe que nunca teve rubéola nem tomou a vacina tríplice viral, o melhor que tem a fazer é se vacinar antes de tentar engravidar. Depois, espere pelo menos um mês antes de começar as tentativas de engravidar para que seu corpo tenha tempo suficiente de se livrar do vírus injetado e para que não haja risco de transmiti-lo ao bebê. 

Se por um caso você foi vacinada nas primeiras semanas de gravidez, antes de saber que estava grávida, tente não se preocupar demais. A chance de seu filho vir a ser afetado é muito remota. Seu médico provavelmente vai pedir um ultra-som quando você estiver com 18 semanas de gravidez para dar uma olhada mais de perto em como está o desenvolvimento do bebê. 

A possibilidade de a rubéola causar algum problema no bebê depende de quando a doença foi contraída. No primeiro mês de gestação, há uma chance de 50 por cento de que o bebê seja afetado, por isso, se há alguma dúvida sobre sua imunidade, fique longe de pessoas que possam estar com a doença. Ao chegar ao terceiro mês, o risco cai para 10 por cento; após a 16a semana de gravidez, problemas maiores são raros. 

Infelizmente, se você pegar rubéola, não há nada que possa fazer para proteger o bebê. Converse com seu médico para saber que exames realizar para descobrir se seu filho foi de alguma maneira atingido no útero.



Nenhum comentário:

Postar um comentário