segunda-feira, 8 de abril de 2013

VENEZA - ITÁLIA


Não se pode dizer que Veneza seja a mais bonita cidade do mundo por um motivo: ela é incomparável, completamente diferente de qualquer outra. Foi construída sobre o mar: as quadras são ilhas e as ruas, na maior parte, canais. Evidentemente, não há carros: ao invés de ônibus e táxis, há barcos. 
O estilo arquitetônico veneziano é singular: são tantos palácios e outros belos edifícios, tão diversos entre si (e ao mesmo tempo tão homogêneos!) que não se sabe para onde olhar... Belas pontes ligam as ilhotas que formam Veneza.Os venezianos desde cedo desenvolveram sua vocação marítima (marinara, em italiano), tornando a Veneza uma grande e próspera potência comercial e militar, muito beneficiada pelas Cruzadas e pela facilidade de acesso ao Oriente, decorrente da própria localização de Veneza.








Ponte Rialto

Essa ponte é a única que liga as duas margens do Canal Grande no coração de Veneza. É impressionante o número de pessoas que atravessam a Rialto todos os dias, sempre a pé, é claro. A atual Rialto é uma ponte parcialmente coberta, construída em pedra no fim do século XVI. Todos se emocionam ao ver a ponte pessoalmente, sobretudo ao passar sob ela de vaporetto ao pôr-do-sol.

Piazza San Marco 

Provavelmente a mais bela praça do mundo e um ícone de Veneza. Nela fica a Basilica di San Marco, em estilo veneziano-bizantino, e o Palazzo Ducale, um amplo edifício em estilo gótico–veneziano, todo de mármore branco e avermelhado, com arcadas, que chama a atenção por sua elegância. Construído a partir do século XII, foi passando por importantes modificações até o século XVI, quando assumiu a aparência ­atual.

Museo Storico Navale

Eis um programa diferente para aqueles que já se “intoxicaram” com pinturas e esculturas. Bem ao lado do Arsenale, o museu naval oferece uma boa coleção de réplicas de antigos navios mercantes e de guerra utilizados pela República de Veneza, inclusive uma do Bucintoro, barco folheado a ouro que os dogi utilizavam no dia da Ascensão.

Museo Collezione Peggy Guggenheim 
(Palazzo Venier dei Leoni) 

No palácio Venier dei Leoni, um lindo edifício veneziano à beira do Canal Grande funciona um museu que abriga obras de representativos artistas modernos.
Ponte dos Suspiros Construída no século XVI, ela liga o edifício do Palácio dos Dodges ao da Nuova Prigioni (“Prisão Nova”), da qual é separado por um canalzinho.
Torre dell Orologio À esquerda de quem, estando na Piazza San Marco, olha para a basílica, não passa despercebida a linda Torre dell Orologio, obra de Gianpaolo Ranieri e de seu filho.


DICA: Venice Card passe turístico da companhia de vaporettos de Veneza que dá direito ao uso de transportes públicos (ônibus) e acesso a diversas atrações, é vendido nos escritórios de turismo, em atrações turísticas e em algumas tabacarias.







Dos dois lados do Canal Grande há belíssimos palácios com uma arquitetura de tirar o fôlego. Como a fachada principal dá de frente para o Canal Grande, uma boa maneira de conhecê-los por fora é simplesmente tomando um vaporetto, espécie de ônibus-barco que circula pelos canais de Veneza.
Carnaval de Veneza Ao contrário da festa brasileira, dura muitos dias e ocorre em pleno inverno, quando a população sai às ruas usando as tradicionais máscaras inspiradas em personagens folclóricos, principalmente os da Commedia dell Arte, como o Arlequim, a Colombina, o Polichinelo e o Balanzone.

HOSPEDAGEM EM VENEZA

Não é fácil achar hospedagem em Veneza, sobretudo durante a alta estação, quando seus hotéis e B&B (Bed and Breakfast) estão lotados. Nessa época é mais fácil conseguir hospedagem em Mestre (no continente). Outra vantagem é que em Mestre os hotéis são mais baratos. Se for ficar em Veneza tente reservar hotéis que ficam não muito longe da estação ou da Piazalle Roma, do outro lado do Canal Grande. Uma opção econômica de hospedagem é o albergue da juventude, mas mesmo o AJ deve ser reservado e com bastante antecedência. (O albergue da juventude em Veneza é, aliás, lindo!) Se for hospedar-se em um albergue da juventude saia do Brasil com sua carteira.
Consulte o site oficial brasileiros dos albergues da juventude:www.albergues.com.br. O site oficial dos albergue da juventude na Itália é: www.ostellionline.org (No norte da Itália há albergues da juventude em Bergamo, Como, Milão (Milano), Padova, Veneza, Verona, Vicenza, Turim (Torino)
Escritório de oficial de turismo - Piazza San Marco e na estação.

Dicas: Há lanchas táxis da estação e do Aeroporto, mas as corridas não são baratas. Se você chegar de Carro a Veneza terá que estacionar na Piazzale Roma, um mega estacionamento. Quem chega de trem desce do outro lado do canal, em frente à Piazzale Roma O resto do trajeto terá que ser feito a pé ou de lancha táxi. Se possível dê preferência a hotéis mais próximos de seu ponto de desembarque e traga consigo o mínimo de bagagem.







Alguns pontos importantes a saber ao planejar a sua viagem para Veneza

 Chegando a Veneza de avião.

Existem dois aeroportos principais nas proximidades de Veneza, o maior deles é o Marco Polo, que fica em Mestre, a parte da cidade situada no continente. O Aeroporto Marco Polo está ligado a Veneza tanto por barcos quanto por um ônibus que vai até a Piazzale Roma, localizada praticamente atrás da estação ferroviária San Lucia. A passagem deste ônibus custa apenas EUR 5,00, e você pode andar da Piazzale Roma para praticamente qualquer lugar de Veneza, ou, se preferir, pode pegar o vaporetto.


Chegando a Veneza de trem.

Há duas estações de trem principais em Veneza, a Mestre, que fica no continente, e a San Lucia, localizada em uma das seis pequenas ilhas interligadas que compõem o que é considerado a Veneza “de verdade”. Para aqueles que descem lá, a surpresa começa logo na chegada. Ao descer na estação San Lucia, você se depara com uma vista fenomenal da cidade, com o Grande Canal e seus belíssimos prédios logo à frente. É realmente o tipo de boas vindas que qualquer um deve esperar de Veneza. A sensação de deparar com todo aquele esplendor é indescritível!
Os viajantes que estão de olho no orçamento, geralmente preferem se hospedar em Mestre, no continente. Se este é o seu caso, terá que fazer a travessia até a ilha de ônibus ou de barco, como explicaremos a seguir.








Se locomovendo em Veneza.

Para quem fica hospedado no continente, o transporte até a ilha é feito de ônibus ou de vaporetto, o famoso ônibus aquático de Veneza. O vaporetto percorre todas as principais ilhas e tem “estações” flutuantes, cada uma identificada por um nome diferente, mais ou menos como o sistema de metrô das grandes cidades (ver fotos).
O cartão de viagens para usar os transportes da cidade (ônibus entre Mestre e Veneza e também o vaporetto), é um pouco caro, custando EUR 18,00 por um dia e EUR 24,00 por dois de viagens ilimitadas. Já a passagem única no ônibus que atravessa a ponte que liga Mestre a Veneza, custa EUR 1,20.
As melhores (e únicas) formas de se locomover pela cidade e suas ilhas são a pé e no vaporetto, já que, em Veneza, carros não circulam. Dependendo de onde você estiver hospedado, é possível até percorrer as Sestieri (seis ilhas principais que compõem Veneza) a pé, deixando para comprar o cartão de transportes para um dia de passeios apenas, quando for explorar de barco a cidade as outras ilhas mais distantes.
Você pode comprar o cartão de transportes em qualquer tabaccaio (tabacarias) espalhados pela cidade, geralmente na proximidade das estações do vaporetto. Estes lugares também vendem mapas da cidade e do sistema de transporte aquático por cerca de EUR 2,00. Verifique com o seu hotel ou albergue se eles oferecem um mapa grátis, o que geralmente acontece.
















Veneza é uma cidade que vive suspensa entre terra e água. Um lugar onde a complexidade da vida cotidiana se dilui no ritmo imposto pela natureza. Única no mundo, entre o respiro do mar e a estressante realidade da terra firme, talvez por isso Veneza seja um destino tão procurado por pessoas do mundo todo que sonham em conhecê-la, e que não raro, ao chegar mal conseguem conter a emoção. Estive duas vezes em Veneza, uma delas inclusive no carnaval, alias aquele que decidir ir a cidade neste período deve ter em mente que a cidade que já é lotada durante todo o ano fica ainda mais cheia e por isso observando a lei de oferta e da procura também os preços, que já são salgados, se tornam pior. Outra coisa importante é que durante o carnaval conhecer a cidade se torna uma tarefa árdua e complicada, já que as ruas estreitas ficam e o grande numero de pessoas restringem e muito o ir e vir, fora que nos principais pontos turísticos se formam intermináveis filas, fazendo com o que o turista ao final do dia se sinta extremante cansado e com a sensação que não conheceu nada, o que de fato é verdade. Mas o carnaval em Veneza não é so isso, as fantasias e o desfile de mascaras, alem dos bailes noturnos e das orquestras a céu aberto dão a cidade um ar ainda mais romântico que de costume. Se aqui vale uma dica, não economizem no agasalho porque o vento e a umidade, aliado ao inverno rigoroso da Europa transformam a cidade em um verdadeiro freezer.  
Na minha opinião se você esta disposto a acordar bem cedo, um dia é pouco mas dois são mais que suficientes para conhecer com calma os principais pontos turísticos e ainda curtir com a paisagem noturna de Veneza saboreando um belo jantar nos restaurantes a beira do canal ou na Piazza San Marco.   











































O melhor

Caminhar sem rumo pelas ruas de Veneza é uma delícia. Mas pule da cama antes das 9h, quando ainda poucos turistas começaram as longas caminhadas pelas ruazinhas da cidade. Conforme a hora vai passando, famílias em férias, casais, mochileiros e grupos de excursão começam a se acotovelar nos locais mais movimentados, quase todos construídos no século 18, quando bem menos gente passava por ali. É bom lembrar que, a cada ano, 12 milhões de turistas visitam Veneza.
O pior

O lado ruim de tudo isso é que milhares de turistas lotam a cidade praticamente durante o ano todo, tornando as caminhadas se acotovelando com a multidão um pouco cansativas e a hospedagem e as refeições muito mais caras que no restante da Itália. Não se deixe abater: a viagem vale qualquer esforço.









Chegar a Veneza pela primeira vez transforma as expectativas criadas em torno da cidade em sombras diante do espetáculo de cores e luzes que se espalha ao longo dos canais que desenham a malha urbana. Em um passeio a pé pelas ruas estreitas ou navegando pelos inúmeros canais, não é possível deixar passar um único minuto sem esbarrar em uma nova atração. 











Esperamos que você tenha aproveitado as nossas dicas. É impossível listar em um artigo só todos os pontos turísticos de Veneza, já que os tesouros da cidade parecem ser infinitos. No nosso próximo artigo, iremos falar em mais detalhe sobre as ilhas que circulam a cidade e como explorá-las a bordo do vaporetto.



Imagens e dicas tiradas da internet.


Nenhum comentário:

Postar um comentário